Buscar
  • Karoline Hoffmann

STRIKES POR COPYRIGHT NA TWITCH TV, O QUE VOCÊ PRECISA SABER!

O Twitter tem sido o divã de streamers que vem recebendo strikes por clipes antigos existentes na plataforma. Inclusive vem recebendo notificação informando que eles só podem ter 3 strikes e depois disso serão permanentemente banidos.





Para muitos que tem as live stream como profissão isso, com razão, é motivo de pânico.

Bem, é na internet que os copyright buscam ter força e nunca conseguem. Copyright sempre existiu, para defender as criações, o que quer dizer que outras pessoas podem utilizar tal produto (música por exemplo) em nível estendido se tiver adquirido uma licença para tanto.


A copyright é um mecanismo de defesa do criador, para evitar que outra pessoa obtenha lucro com algo que não é dele.


Desde o surgimento da internet o que mais a gente consegue encontrar é pirataria. Quem não baixou música e vídeos do emule, do Kazaa, do LimeWare, para escutar no mp3 ou até fazer CDs.


Isso foi uma revolução que despontou todo esse sistema jurídico que defende os copyright e que entrou em ação para tentar extinguir essas plataformas.


Enfim, isso virou passado, as plataformas mudaram e surgiu o YouTube, no entanto, o YouTube tem mecanismos de aviso ou de repasse da monetização do vídeo não para o titular do canal mas para o detentor dos direitos. Isso acontece muito com Reacts, com vídeos dos criadores de conteúdo bloqueados. O desbloqueio só se dá quando avisado e ajustado o mecanismo para repasse da monetização ao detentor dos direitos.


Na Twitch as coisas eram ainda mais selvagens, por ser uma plataforma live streaming é muito difícil controlar quem está passando em tempo real música de copyrighted (que precisa ter licença) ou não.


Assim quando acaba a live e o vídeo fica salvo na Twitch eles podem fazer a verificação e cortar o som do vídeo.


Mas uma corporação chamada RIAA (Record Industry Association of America) que controla todo esse copyright em plataformas, em 03 de julho de 2020, emitiu uma nota informando que perceberam que com a questão do isolamento social provocado pela COVID essa “mutada” nos vídeos não estava acontecendo e passaram a lutar para que os copyright fossem exercidos.


Aí como ficaram os live stremers que usam por exemplo o Just Dance, ou que fazem sua live stream enquanto o vizinho escuta uma música em volume para a quadra inteira ouvir? Isso mesmo, desesperados. Pois estão, pelas regras, violando o copyright e sofrendo, assim, o copyright strike.


A problemática justamente está nos jogos que tem músicas embutidas (pois quem tem o direito adquirido para usar a música é a Publisher e não o streamer) e nas questões de clipes antigos. Quem tem mais de 100k de clipes faz como? Deleta um por um... Insano!


O certo seria dar um prazo para que os streamers possam fazer essa “varredura” em seus vídeos, o que de fato não está ocorrendo, as notificações de strike estão chegando de surpresa e o banimento permanente está logo ali.


Isso é capaz de arruinar permanentemente a plataforma, afinal qualquer um que faz live stream de alguma forma tem reprodução de algum copyright em suas streams.


Impossível na prática realizar um live stream sem reprodução de música. Lutem por isso, sabemos que para os artistas é doloroso ver sua obra reproduzida sem receber por isso, mas a questão é que o streamer ou usa o jogo que reproduz uma música ou está com seu Spotify aberto (pagando por isso) e acaba reproduzindo.


Na nossa opinião a atitude da Twitch irá prejudicar a todos, inclusive a ela mesma. Se você tomou um banimento permanente por conta disso não deixe passar. Consulte um advogado especialista, principalmente se você monetiza e obtém renda do seu trabalho na plataforma.


Palavras-chave: Twitch, Copyright, Strikes

6 visualizações0 comentário